Só pelo amor

Se você quiser alcançar a ventura profunda que deixa em festa a alma, se desejar chegar às fontes da luz que forja a alegria verdadeira, e se almeja culminar os seus tempos terrestres sob o manto leve de trabalhador dedicado, desenvolvendo paz no íntimo, pela glória de viver dignamente, precisará conscientizar-se da grandeza do amor.

Se você busca algum caminho para fazer dos seus passos atitudes firmes, seguras, tornando-se útil aos dois mundos, o físico e o espiritual, que demonstram os níveis variados da exuberante vida, saiba que a mediunidade, com a vitoriosa orientação de Jesus, lhe dará a mais oportuna opção.

Entretanto, caso você apele para a mediunidade, sem estar atento à magnitude do seu exercício, ou se não se importar com a seriedade desse trabalho, uma vez que do mundo corporal o médium penetra as vibrações do mundo dos Espíritos, terá perdido importantes ocasiões para tratar de si mesmo, por meio da prática do amor.

É indiscutível que somos todos mais ou menos médiuns, em virtude da capacidade da teletransmissão do pensamento. Somos aptos a, igualmente, captar pensamentos de tantos quantos pensam no mundo, estejam encarnados ou desencarnados os pensantes.

A condição do nosso íntimo é que determinará a nossa posição psíquica e a possibilidade de nos sintonizar com esse ou com aquele tipo de pensamentos, desse ou daquele ser espiritual.

É notório que, se houver a luz do amor a orientar essa faculdade, ainda quando o médium atenda as almas sofredoras, estará imerso nos fluidos dos seres felizes, enobrecidos, representantes do bem junto à criatura da Terra.

O amor é, por fim, a grande chave do êxito, da oportunidade de fazer-nos úteis a tanta gente. O amor, que significa a luz de Deus em cada um de Seus filhos, espalha-se sobre o nosso planeta, para tornar felizes todos nós. Só o amor é capaz de derramar-se através do mundo e fazer feliz a todo aquele que aspira por tornar-se uma alma amorosa, espalhando seus sentimentos de amorosidade para quem o cerque.

É no amor que todo médium achará o próprio Jesus a nortear sua existência tornada útil, por meio dos mensageiros que atuam em Seu nome. Que não nos esqueçamos disso, e que nos apliquemos nos esforços e trabalhos redentores.

Ao assumirmos, com honestidade, o mandato mediúnico, façamo-lo com muita verdade e com devotamento, mas, fundamentalmente, com amor intenso, a fim de que não se percam as conexões das nossas mentes com a Mente Sublime das Regiões de Luz, que sobrepairam o mundo.

A mediunidade com Jesus é mediunidade com amor, sempre.

Maria Martins.

Mensagem psicografada por Raul Teixeira, em 27.5.2006, no Instituto de Cultura Espírita de Itabuna, Itabuna-BA.